Sindicato da CGTP discute condições de trabalho dos migrantes no Alentejo

O SINTAB-Sindicato dos Trabalhadores da Agricultura e das Indústrias da Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal e a USDBeja -União dos Sindicatos do Distrito de Beja, vêm, desde há muito,a denunciar aquela que diz ser “a exploração sobre os Trabalhadores migrantes no Alentejo, que a pandemia veio agora colocar a nu”.

A nota de imprensa enviada às redações dá conta de que o “SINTAB, a USDBeja e a CGTP-IN” “têm alertado para a negação de direitos laborais e a falta de condições de habitabilidade a que estes trabalhadores têm sido sujeitos, tanto por denúncia às instâncias competentes, como na intervenção por via da Associação para a Interculturalidade e Apoio ao Imigrante”.

“Infelizmente, tanto a ACT, como os Ministérios do Trabalho e Segurança Social, e da Agricultura, nada têm feito. Estes graves problemas não são exclusivos de Odemira, nem sequer do Alentejo, e são um problema geral nas atividades agrícolas, onde a atividade sindical está proibida e os direitos dos trabalhadores são espezinhados”.

O SINTAB, a USDBeja e a CGTP-IN realizam, amanhã, pelas 11 horas, uma conferência de imprensa com o intuito de “abordar esta problemática”.