Somincor lamenta a realização de mais uma greve

A administração da Somincor, concessionária da mina de Neves-Corvo, em Castro Verde, lamenta a realização desta nova greve.
A empresa garante que ao longo do processo tem estado disponível com “um diálogo construtivo”, respondendo sempre às necessidades dos trabalhadores “de forma responsável”.
A SOMINCOR afirma que está a acompanhar de perto a greve organizada pelo Sindicato dos Trabalhadores da Indústria Mineira (STIM), que começou ontem pelas 6:00 horas, e espera que a mesma termine no próximo Sábado, 11 de Novembro.
“Neste momento, não nos é possível fornecer dados sobre a participação (na greve) devido ao facto de um número elevado de trabalhadores continuar a aguardar na fila de trânsito para aceder às instalações. A nossa prioridade durante este período é garantir que quem pretende trabalhar o possa fazer de forma segura e com a mínima perturbação”, informa a empresa em comunicado.
A Somincor assegura que se mantem comprometida “com a manutenção de remunerações e direitos atuais dos colaboradores, assim como de boas condições de trabalho”. Simultaneamente, acrescenta, “permanecemos centrados em assegurar a competitividade a longo prazo da nossa operação e a sua posição de relevante contribuidor para a economia regional e nacional”.
A empresa diz continuar a dialogar com os trabalhadores e sindicato no sentido da resolução da situação.
Recorde-se que os mineiros da Neves Corvo iniciaram ontem mais uma greve de 5 dias.
Os mineiros exigem o fim do regime de laboração contínua no fundo da mina, a humanização dos horários de trabalho, a antecipação da idade de reforma dos trabalhadores adstritos às lavarias, a progressão nas carreiras e a revogação das alterações na política de prémios.
O Sindicato considera que o Ministério do Trabalho “tem de intervir para a resolução do conflito porque é essa a sua obrigação”.
Nesse sentido, os trabalhadores rumam a Lisboa no próximo dia 10, sexta-feira, para apresentarem as suas exigências ao Governo.