ULSBA poderá ficar sem médicos de Saúde Pública

A Unidade Local de Saúde do Baixo Alentejo (ULSBA) está em vias de “perder” os três médicos de Saúde Pública. O Conselho Sub-Regional de Beja da Ordem dos Médicos sublinha que a situação poderá ter graves consequências.

Em causa está a admissão de dois dos profissionais de saúde, em concursos de mobilidade para a Área da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.

Existe, também, uma terceira médica interna, que com a saída destes dois especialistas fica sem tutor e terá se de ser encaminhada para outro serviço.

Contactada pela Rádio Pax, fonte da administração da ULSBA “confirma a situação” e garante que “tendo em conta a situação da pandemia, está a fazer tudo para que os médicos não saiam no imediato”, até ser encontrada uma solução.

O presidente do Conselho Sub-Regional de Beja da Ordem dos Médicos, diz-se preocupado com esta situação. Pedro Vasconcelos afirma que “imaginar-se que um serviço com a importância da Saúde Pública fique sem ninguém pode ter consequências dramáticas”, em particular em tempos de pandemia.

Pedro Vasconcelos explica que, tendo em conta que “não poderão ser outros médicos a desempenhar essas tarefas”, ou se consegue prolongar a saída destes profissionais ou a solução passará por substituir os médicos a breve trecho.