BE considera que decisão do IAPMEI “peca por tardia”

O IAPMEI tornou pública a decisão de suspender por seis meses a laboração da fábrica de bagaço de azeitona em Fortes, no concelho de Ferreira do Alentejo.

O Bloco de Esquerda (BE) considera, em comunicado, que esta decisão “só peca por tardia”.

A distrital de Beja do BE “saúda” o que diz ser a “vitória do povo de Fortes e da sua comissão de moradores e amigos, pelo excelente trabalho de mobilização e esclarecimento sobre esta causa ambiental”.

Alberto Matos, coordenador do BE em Beja, realça que a fábrica só pode retomar a laboração depois de reunir todas as condições e efectuar as obras de construção de nova chaminé e instalação dos respectivos filtros; assegurar o armazenamento e transporte hermético da matéria prima e respeitar as normas de segurança ambiental dos trabalhadores e das populações.

Esta decisão do IAPMEI, na perspectiva do BE, “coloca na ordem do dia a necessidade de uma inspecção rigorosa às condições ambientais e de laboração de outras duas fábricas de bagaço de azeitona, altamente poluentes à vista desarmada, em Alvito e Odivelas”.