CDU de Beja acusa autarquia de não promover o Cante Alentejano

A CDU de Beja vem, em comunicado, defender a salvaguarda e dinamização do Cante Alentejano, que em 2020 celebra 6 anos sobre o reconhecimento, por parte da UNESCO, como Património Cultural e Imaterial da Humanidade. Os vereadores da oposição dizem que o atual executivo municipal tem falhado na estratégia de promoção do Cante.

Os eleitos da CDU recordam que “foi aprovado em Assembleia Municipal”, em 2015, “a classificação do Cante Alentejano como Património Cultural Imaterial de Interesse Municipal”.

Esta classificação, “passaria por promover um conjunto de iniciativas capazes de criar dinâmicas para potenciar e promover este património, apostando na sua projeção local, nacional e internacional, valorizando todos os momentos e contextos em que o cante acontece”, tal como o anterior executivo de maioria CDU fez, por exemplo com a concretização do projeto “Cante nas Escolas”. As declarações são da vereadora Sónia Calvário.

Além disso, Sónia Calvário refere que o Cante promove nichos turísticos que são uma mais valia para a região.

A vereadora comunista realça a sua preocupação com a “inatividade” do atual executivo PS na Câmara de Beja, afirmando que “não foi capaz de dar continuidade a nenhum dos objetivos desta estratégia”.

Os eleitos da CDU defendem que importa fomentar o envolvimento de todos os agentes e atores do cante, autarquias, instituições e pessoas singulares em torno da salvaguarda do cante alentejano e insta o executivo PS a tomar medidas imediatas que valorizem este património mundial.