Força Aérea trava instalação de Escola de Pilotos no aeroporto de Beja

O projecto de instalação de uma Escola de Pilotos em Beja não deverá avançar. A Força Aérea Portuguesa (FAP) deu um parecer desfavorável ao investimento previsto para o aeroporto de Beja. A revelação foi feita à Rádio Pax por Paulo Arsénio, presidente da Câmara de Beja, numa entrevista onde faz o balanço do primeiro ano de mandato.

O autarca afirma que o processo estava “fechado” com os diversos parceiros: Instituto Politécnico de Beja, ANA Aeroportos e Câmara de Beja.

Previa a instalação de várias aeronaves, 150 alunos e 30 pilotos, instrutores e mecânicos.

De acordo com Paulo Arsénio, a Força Aérea considera que seria prejudicial para a sua missão a escola de pilotos, mais ainda quando se prevê a transferência de esquadras do Montijo – onde será construído o novo aeroporto- para Beja.

A Câmara está a tentar inverter a situação junto da Força Aérea.

Sobre o primeiro ano de mandato, Paulo Arsénio fala num executivo “atento” e “dialogante”.

O presidente da Câmara de Beja está satisfeito com o trabalho desenvolvido neste primeiro ano.

Paulo Arsénio adianta que “quando os munícipes em 2021 olharem para o concelho de Beja e compararem com o concelho que tinham em 2017, vão chegar à conclusão que valeu a pena apostar numa estratégia de realismo e de humildade (…)”.

Este é um excerto de uma entrevista emitida às 10 horas com reposição às 17 horas na Rádio Pax.