Vítor Silva: A Extremadura espanhola também MERECE+

A Extremadura espanhola é uma região do país vizinho que faz fronteira com Portugal, sobretudo com o Alentejo e também, embora em menor extensão, com as Beiras. Tem uma área cerca de um terço superior ao Alentejo e uma população pouco mais do que o dobro. Tem muitas características semelhantes ao Alentejo, embora não tenha litoral, o que faz alguma diferença e também partilha muitos dos mesmos problemas.
E um desses problemas comuns tem a ver com as acessibilidades ferroviárias. Só para se perceber, os 400 quilómetros que separam Badajoz, na fronteira com Portugal, e Madrid, demoram seis horas a serem percorridos num comboio a diesel e com frequentes avarias.Seis horas é o que se gastam de automóvel entre Lisboa e Madrid ou entre Beja e Madrid. Quanto a avarias nós por cá também estamos bem fornecidos. Nem um quilómetro de via férrea na Extremadura está electrificado. Estão ainda pior que nós, pois que a linha que une Évora a Lisboa já o está.
Faço aqui um parêntesis para chamar a atenção que não é só no Baixo Alentejo que a ferrovia está uma desgraça. O mesmo acontece no norte do Alentejo.
Pois os nossos vizinhos extremenhos fartaram-se de esperar, fartaram-se de pedidos ao governo central e decidiram vir para a rua, ou mais concretamente de irem até Madrid. E foram, no passado sábado: a sociedade civil, todos os partidos políticos, os sindicatos e as associações patronais, debaixo da palavra de ordem “tren digno ya”, que é como quem diz em português, “um comboio em condições já”.Encheram com milhares de manifestantes a Praça de Espanha em Madrid e com isso foram notícia destacada em todos os meios de comunicação. Em resumo, conseguiram que o seu problema passasse de algum modo a ser um problema de toda a Espanha.
Se me é permitido o conselho, seria bom que o nosso Movimento Beja Merece + estivesse atento ao que se passa do outro lado da fronteira. E se me é permitido sonhar, gostaria de ver todo o Alentejo unido a reivindicar melhores acessibilidades ferroviárias. Mas isto se calhar já será sonhar de mais.