Opinião: Manuel Godinho

Será que a CDU vendeu a Freguesia de Vale de Vargo por um orçamento anual de 240.000 euros?
A minha crónica de hoje é sobre a união de freguesias! E as dúvidas que me rodeiam no que toca à freguesia de onde tenho as minhas raízes familiares que é Vale de Vargo no concelho de Serpa!
Em 2013 a lei da agregação de Freguesias, veio trazer tristeza a muita gente porque levou à perda de identidade, de proximidade, e à perda de representatividade e de participação de certas aldeias. Como foi o caso no concelho de Serpa onde a Freguesia de Vale de Vargo foi agregada com a freguesia de Vila Nova de São Bento. Muitos partidos políticos se insurgiram com esta situação um desses partidos foi o PCP que levou o seu deputado do distrito de Beja acompanhado pelo Secretário Geral do PCP informar a população de Vale de Vargo que nunca tiveram a favor da agregação de
freguesias e que tudo fariam politicamente para repor as freguesias agregadas, e que nunca se esqueceriam de Vale de Vargo como é compreensível.
Ano 2021 propõe se a revogação da Lei que permitiu a fusão de Freguesias (Lei n.º 11-A/2013, de 28 de janeiro) na Assembleia da República. Tendo esta sido a aprovada com votos a favor de PS, PSD, PAN e Iniciativa Liberal, e com abstenções de BE, PCP, PEV e Chega e votos contra do CDS-PP.
Fiquei Chocado com o facto do PCP não querer fazer parte da solução, quis entender o porquê uma vez que o executivo da CM de Serpa é da CDU.
Ao analisar a situação deparei-me que o orçamento da União de Freguesias era superior ao que existia quando ainda existiam as duas freguesias (V.N de São Bento e Vale de Vargo) e a conclusão política que se tira é será que a CDU vendeu a Freguesia de Vale de Vargo por um orçamento anual de 240.000 Euros?

Manuel Machado Godinho. 

Agricultor