Vítor Silva: O aeroporto lá vai mexendo

Devagar, devagarinho, o aeroporto de Beja lá vai mexendo. O grupo de empresas HiFly que tem utilizado o aeroporto de Beja para estacionamento de aeronaves nos últimos anos, entre os quais o A380, o maior avião comercial do mundo, veio agora informar que já começou os trabalhos de construção de um hangar para manutenção de aviões, que espera concluir lá para finais de 2020. O investimento previsto é de 30 milhões de euros, com a criação de 150 postos de trabalho. Grande parte dessa mão-de-obra será, obviamente, especializada.
Devagar, devagarinho, o aeroporto de Beja lá vai encontrando a sua verdadeira vocação: um aeroporto apostado, para já, no estacionamento e na manutenção de aeronaves.
Mas no futuro seria desejável que alguma empresa investisse também no desmantelamento de aviões. Já passou o tempo em que os aviões saíam de serviço para a sucata. Hoje quase tudo é reciclado. E pelo que se sabe este é um bom negócio.
Mas também seria bom que houvesse oportunidades para o estabelecimento de outras empresas ligadas à indústria aeronáutica, nas áreas da fabricação de componentes e da investigação.
Não sendo fácil consegui-lo, o aeroporto de Beja também tem as condições logísticas para poder constituir-se como uma plataforma internacional de carga aérea. Claro que falta ainda a conclusão das acessibilidades rodoviárias à autoestrada A2 e a eventual ligação à ferrovia.
E não nos esqueçamos que não está descartada a hipótese de vir para Beja uma escola de pilotos. Assim a Força Aérea deixe de colocar obstáculos à sua instalação.
Nesta altura da minha crónica alguém poderá perguntar: mas o aeroporto de Beja não é também para ter passageiros? Claro que sim.
Existem inúmeros aeroportos pelo mundo cuja principal missão não é a de receber aviões de passageiros. Estão dedicados àquelas actividades que atrás mencionei e outras. No caso do aeroporto de Beja o que me parece óbvio é que tendo sido construído um terminal de passageiros e estando mais que comprovada a sua operacionalidade para receber qualquer tipo de aviões, sempre que houver companhias interessadasem trazer e levar daqui pessoas, serão muito bem-vindas.